Em audiência pública, Câmara discute futuro do futebol vitoriense

VEREADOR XANUCA 01

 

 

 

 

Sociedade civil, representantes de entidades e políticos emitiram sugestões e opiniões sobre o futebol local e a usabilidade do Estádio Carneirão 

 

Aconteceu na noite desta segunda-feira (06), na Câmara de Vereadores de Vitória de Santo Antão, uma audiência pública para debater sobre o futebol amador e profissional do município. No plenário da Casa Diogo de Braga, amantes do desporto, dirigentes de clubes amadores e políticos discutiram durante cinco horas o futuro da principal praça esportiva da região, o Estádio Severino Cândido Carneiro (O Carneirão), entre outros aspectos relacionados à temática.

 

Durante a sessão especial, foram levantadas algumas questões acerca da utilização do estádio, com explanações por parte da mesa e dos representantes do poder Executivo, entre eles, o assessor especial da gestão, Paulo Teixeira; Marcos Rocha, secretário de Cultura Turismo e Esportes; e Carlos Henrique, secretário de Desenvolvimento Econômico.

 

“A situação do Carneirão em nenhum momento foi deixada de lado pela gestão. Em junho, fomos provocados pelo presidente do Vera Cruz sobre a possibilidade de haver jogos no local,  mas aí a Secretaria de Obras e a Vigilância Sanitária fizeram um laudo técnico que comprovaram a precariedade do espaço. Por parte da prefeitura houve interesse, mas o investimento é muito alto. O governo municipal está buscando alternativas que se mostrem plausíveis neste momento”, afirmou Paulo Teixeira, porta-voz da prefeitura.

 

O equipamento esportivo encontra-se sem condições de realizar partidas, já que seu espaço físico, incluindo gramado, instalações elétricas, parte do muro e banheiros estão avariados por falta de manutenção.  O ato foi convocado pelo vereador Erodilson Teófilo dos Santos (Xanuca), ex-jogador da Desportiva Vitória (Hoje chamada Acadêmica Vitória).

 

“O Carneirão é tão importante pra Vitória como a Pitú, o Carneirão é tão importante pra cidade como a Federação de Futebol é pra Pernambuco. É um marco onde a gente pode levar o nome da nossa cidade para o mundo. Se há algum conflito de entendimento para que a liberação do estádio seja feita, é muito pequeno pro que pode nos unir. Aqui não é palanque partidário, é o sentimento de poder ver na cidade de Vitória, Santa, Sport, Náutico, Central jogando contra a gente. O Vera Cruz teve que ir jogar em Feira Nova e foi prejudicadíssimo, porque uma praça daquela está parada. Não vamos nos calar até que o Carneirão seja palco do Vitória” disse o propositor da audiência.

 

“O que me preocupa não é a condição do estádio, o que preocupa é ele estar lá parado. Se temos cerca de dois meses para a estreia do campeonato, temos que agir logo. É pouco tempo pra que a gente possa ter o Vitória jogando em casa. Vamos pensar em solucionar o problema. Vamos desarmar os palanques e pensar no Vitória, no Vera Cruz e nos jogadores amadores desta cidade”, destacou o presidente da Casa Diogo de Braga, Edmilson Zacarias (Novo da Banca).

 

A audiência também contou com a participação do presidente do Flamengo de Arcoverde, Olavo Bandeira. O referido clube, assim como o Vitória, disputa o Campeonato Pernambucano da primeira divisão. “Em Arcoverde temos um orçamento de cem mil reais no estádio, com climatização de todas as cabines. Futebol não é gasto, é investimento”, exemplificou.

 

O presidente de honra da Acadêmica Vitória, Paulo Roberto Arruda, citou a relevância dos jogos serem mandados na cidade e fundamentou sua fala utilizando slides. “O Vitória não é de Paulo Roberto, mas da cidade. Temos uma torcida apaixonada, que em 2008 foi pra Limoeiro ver o time jogar quando o ex-prefeito proibiu de usarmos esse estádio. Foi um equívoco que o fez perder a eleição, devido a proporção que é o futebol. Teremos um dos maiores campeonatos dos últimos anos graças a grande cobertura da imprensa, o que fará que Vitória seja mostrada para o mundo”.

 

Também marcou presença, o diretor da Federação Pernambucana de Futebol (FPF/PE), Murilo Falcão, que representou o presidente da entidade, Evandro Carvalho.

 

Futebol amador

 

O presidente da Liga Vitoriense de Desportos, Joel Neto, utilizou a tribuna da Câmara para cobrar apoio à entidade, que tem encontrado dificuldades para realizar suas competições. Lembrou o mandatário durante seu discurso, que a Seleção Vitoriense não pôde participar da Copa do Interior 2017 por não conseguir angariar recursos provindos da gestão municipal. “Em apenas duas oportunidades nós não participamos e não foi por falta de apoio. Em 1975 e 2005 nossa cidade foi atingida por duas grandes enchentes que impossibilitaram a formação do time. O futebol é importante. Os pais de família matam a fome de seus filhos negociando em dias de jogos, vendendo seu lanche, seu churrasquinho”, resumiu Joel.

 

Por fim, conclui-se que a audiência pública rendeu comentários positivos de seus participantes e verbalmente foi cogitada uma possível mobilização para que haja a recuperação das instalações do estádio e outras melhorias no recinto.  Datas e prazos não foram estipulados pelas partes.

 

 

OLAVO BANDEIRA

NOVO DA BANCA

 

 

JOEL NETO

 

 

DEPUTADO ESTADUAL JOAQUIM LIRA

 

PRESIDENTE DO VITÓRIA PAULO ROBERTO

 

SECRETÁRIO DE DES. ECONÔMICO

 

MARCOS DA PRESTAÇÃO

 

VER GERALDO FILHO

MURILO FALCÃO FPF PE

PAULO TEIXEIRA

 

PÚBLICO

 

XANUCA MESA

VEREADOR ANDRÉ DE BAU

VEREADOR TONINHO

Compartilhe esta notícia

7
novembro 2017
Comentários: 0 Visualizações:254