Tamanho do texto: A-A+

Câmara de Vitória registra os 368 anos da Batalha do Monte das Tabocas

A IMPORTÂNCIA DE NOSSAS BASES HISTÓRICAS – A BATALHA DO MONTE DAS TABOCAS

pelo historiador vitoriense Eraldo Ribeiro Tavares*

 

Monte das tabocas

Rever a história da Vitória de Santo Antão, também é rever a história do Brasil. Muitas pessoas não imaginam a importância de nossa história e de que forma ajudamos a construir o nosso País; e nem imaginam que grandes fatos ocorridos aqui, ajudaram a modificar o cenário regional e nacional brasileiro.

 

Assim, tivemos desde nossa fundação no ano de 1626, grandes fatos ocorridos, que podem ser numerados facilmente, tais como: a Batalha do Monte das Tabocas em 03 de Agosto de 1645, a participação na guerra dos Mascates ocorrida em 1710, a Revolução de 1817, a revolta do Quebra-Quilos ocorrido entre os anos de 1874 – 1875, e recentemente entre as décadas de 1950 e 1960 com as chamadas Ligas Camponeses, no local denominado de Engenho Galileia, que serviu de pretexto para que o regime militar tomasse conta do cenário nacional brasileiro pelo período de 21 (vinte e um) anos, que ficou conhecido como ditadura militar (1964-1985).

 

Conta o historiador José Aragão, que “Abrangendo terras cobertas pela Mata do Pau Brasil, da melhor qualidade, o vale do Tapacurá (atual região da nossa cidade) começou a ser explorado na primeira metade do século XVI, na região mais próxima de sua foz, pelos traficantes dessa cobiçada madeira”. Prossegue o ilustre historiador sobre a fundação de nossa cidade que: “Sua origem data de 1624 ou 1626, anos em que Diogo de Braga construíra, à margem esquerda do rio Tapacurá, algumas casas, onde se fixou com seus parentes, e uma capela, que dedicou a Santo Antão, o primeiro eremita, cujo patrocínio era invocado contra as feras e os animais daninhos, que infestavam a região”.

 

Mesmo sendo uma terra rica de Pau Brasil, e de um solo muito propício para a cultura da cana-de-açúcar, nossas terras eram também abundante e índios e animais bravos, o que dificultava bastante o inicio da povoação e surgimento de nossa cidade. Então percebemos que os duzentos anos iniciais da colonização da povoação e surgimento de nossa cidade. Então percebemos que os duzentos anos iniciais da colonização desta costa brasileira, e a região da atual cidade da Vitória de Santo Antão, sempre foi marcada por muita luta.

Monte-das-Tabocas1-927x283

Herdamos justamente o nome de nossa cidade por causa da “gloriosa” Batalha ocorrida no dia 03 de Agosto de 1645 no Monte das Tabocas. Informa Frei Manuel Calado, sobre como conseguimos tamanha proeza em uma vitória sobre os “invasores holandeses”, assim conta ele: “uma mullher muito formosa, com um menino nos braços, e junto a ela um venerado velho, em hábito de ermitão, os quais davam armas e pólvora e balas aos nossos soldados, e depois de afirmar que a dita mulher era a Virgem Maria”. Assim prossegue: “O venerado, que vinha acompanhando a esta senhora, bem se deixa coligir que seria o glorioso Santo Antão, o qual entre aquelas ásperas montanhas e inabitados campos tinha um igreja, aonde os moradores de Pernambuco (quando Deus queria), lhe iam todos os anos, aos dezessete dias de Janeiro, com os moradores daqueles matos circunvizinhos, a fazer uma festa, com missa e pregação, para que lhes guardasse e defendesse seus gados e cavalgaduras dos tigres, onças suçuaramas, que se criam e vivem entre aquelas brenhas, e também para que lhes defendesse as roçarias de farinha e legumes dos porcos do mato, chamados na língua brasílica Taiassuaté, ou Taiassuaterica, os quais aonde chegam deixam tudo destruído; e como depois que os holandeses entraram em Pernambuco ficou a sua igreja em desamparo, e os hereges fizeram a imagem em pedaços; tanto que os viu naquela paragem brigando com os cristãos católicos, que era a nossa gente, veio ajudar-nos a vencer, e a significarmos que estava da nossa parte,e juntamente castigar os desaforos que inimigos da Fé fizeram em sua igreja, e despertar em nós a memória e o cuidado de o servimos e venerarmos”.

 

A Batalha do Monte das Tabocas serve não só como nascedouro de nossa identidade como povo, alguns até dizem como nação brasileira, serve essencialmente como marco do surgimento de nossa valorização como cidadãos vitorienses, trabalhadores, bravos, povo unido que ama sua querida terra, sua cidade maravilhosa que é nossa Vitória de Santo Antão.

 

O fato é que, se alguns querem apagar ou diminuir a importância da Batalha do Monte das tabocas, sabemos desde já, que esse feito histórico de nossa cidade e do nosso povo nunca foi e nunca será esquecido pelos seus moradores.

 

A história é a nossa mãe, e com carinho e a preocupação de uma zelosa mãe, a história nunca deixará seus filhos no escuro. Citamos como prova de nossa importância histórica os inúmeros registros de votos de aplausos e comemorações dados pela Assembleia legislativa desta província pernambucana e agora Estado e até os votos de aplauso e de elogios dados pelo próprio Rei D. João VI em que chamava nossa histórica batalha de fator de integração nacional.

 

Então sabemos desde já da nossa importância, como filhos desta querida terra, terra do povoado de Braga, que logo em seguida tornou-se Vitória de Santo Antão, devido a nossa gloriosa vitória alcançada nesse conflito travado entre negros, índios, portugueses e reinóis contra a força flamenga no dia 03 de agosto de 1645.

 

*Historiador Eraldo Ribeiro Tavares

Executa o projeto de digitalização de todos os documentos do Setor de Arquivo da Casa, permitindo manter dados históricos significativos da existência do Poder Legislativo vitoriense.

 

 

Compartilhe esta notícia

2
agosto 2013
Comentários: 0 Visualizações:6.062